Odete

Clarissa Campolina / Ivo Lopes Araújo /Luiz Pretti

HD | 16min | cor | 2012

Odete nasce da vontade de nos deslocarmos diante do que nos é natural, repensando relações e espaços. Tendo a cidade como pano de fundo para o tortuoso caminho de Odete, considerávamos importante que o realismo, inerente à filmagem em locação e ao modo de produção que tínhamos em mãos, cedesse lugar a um ambiente irreal advindo dos contornos psicológicos de nossa personagem. Fortaleza deveria se transformar em um palco expressionista, onde um drama familiar ganharia tons densos e fantasmáticos.
A construção desse cenário sombrio, solitário e anti-natural acompanhava o deslocamento de Odete em direção à ela mesma, ao universo labiríntico, presente no interior da personagem, intensificando o mistério que a orienta ou desorienta. Percebemos que apontar a câmera para um lado ou outro da rua, sair pra filmar no domingo ao invés de segunda eram atitudes que transformavam a paisagem do centro da cidade, destituindo-a de seu aspecto cotidiano.
Desde o começo sabíamos que Verônica de Sousa Cavalcanti interpretaria a personagem central do filme. Verônica é uma atriz de muita personalidade e o seu estilo anti-naturalista era perfeito para expressar com poucos gestos a dureza que buscávamos.
O silêncio, o vazio, o gesto mínimo, o som dos passos e a repetição da trilha sonora,  funcionam como um mantra, lento e constante, que marca o andamento do filme de modo a nos conduzir pouco a pouco ao grito mudo e final de uma mãe e sua filha, presas em uma mesma voz.